CRÓNICAS | O QUE OS OLHOS NÃO VÊ…

Hello Kitties,
Acho que se pode dizer que sou “viciada” em tecnologia. No verão bem me vi aflita quando esgotei os mb gratuitos do meu tarifário – também só tinha necessidade de ir à internet porque as companhias eram completamente desinteressante – estou quase sempre conectada, se não fosse a internet a minha vida seriam bem mais solitária [certamente iria ler muito mais e estudar melhor].
Isto de termos acesso à essas tecnologias e aplicações tanto pode aproximar como afastar as pessoas. Seria incapaz de viver longe dos meus pais se não tivesse o Skype ou o Whatsupp [nem quero imaginar como era antigamente, quando o correio ainda era entregue à cavalo.], mesmo que não tivéssemos assunto eu e o falecido (a.k.a ex boyfriend) trocávamos várias mensagens (na seguinte proporção: eu enviava 10 e recebia uma 5h depois), estou sempre a cuscar o Facebook e claro, a ler os blogues, tudo através da nossa querida internet e o nosso adorado telemóvel.
O Facebook foi criado mesmo para isso: para sabermos quem está solteiro e quem não está, o que andam as pessoas a fazer, comunicar e interagir com as pessoas e é aí que entra as zaragatas, as infidelidades, as omissões e mentiras, a falsidade, o ciúmes [HELL YEAH!], o controle obsessivo… sinceramente, por muitas vezes eu quis fechar a minha conta no Facebook, mas havia sempre alguma coisa: se fechasse o Facebook depois não poderia gerir a página do blogue (eu sei que agora já se pode, antes não dava.), tenho imensos grupos de trabalhos e aulas da faculdade, tive mesmo professores que usavam o Facebook como se fossem o Moodle: “Logo a noite posto no Face os exercícios para a próxima aula”; e agora, entre desamigar algumas (era só mesmo uma) pessoas, preferiria não ter mesmo Facebook de vez, para não cair na tentação de ir lá cuscar. Acho horrível esta mania minha de querer ir lá querer ver, querer saber, para que? O que os olhos não vêem, o coração não sente! Ainda hoje acordei e dei de caras com algo que me fez logo pensar: “Eu sabia, sempre soube, não sei porque ainda negava, é mais que óbvio que o “fraquinho” por ela esteve sempre lá, quem sabe agora que estão solteiros não reatem… quer dizer, estarem numa relação nunca foi impedimento nenhum para ninguém…”, e lá continuei a comiserar-me e a odiar tudo e mais alguma coisa outra vez.
O que me vale é que existe a opção “Não seguir/não mostrar no mural”! Tenho tentado seguir esta receita (link) do blogue A Farmácia de Serviço (aconselho vivamente a leitura desta crónica para quem como eu está a superar uma hard breakup).
A tecnologia também modernizou as relações, sim porque depois de quase 6 anos de namoro, há ainda fulanos [daqueles sem os corrones no sítio] que acham que é super “engraçado” terminar o namoro por sms e oficializar o final por email, foi por pouco que não fui notificada pelo Facebook [parece muito estúpido, mas acreditem ou não, eu achei que ainda poderia ser amiga de tal indivíduo]. Imagino que no meu caso, se não houvesse telemóveis ou internet, provavelmente só lá para a Primavera é que iria descobrir que afinal estava solteira e não sabia [e se eu não tivesse perguntado provavelmente nem o email teria recebido, btw].
Se há coisa do qual me orgulho (e que os meus pais mais odeiam) é que eu não guardo as palavras para mim, o que tiver de dizer, digo na hora, frente a frente, pode magoar, posso não dizer da melhor maneira, mas digo. Acho uma tremenda covardia quando não são sinceros conosco. Eu não sei como alguém pode ser capaz de passar tantos anos a mentir, enganar e a manipular, sendo completamente desonestos e desrespeitável desta maneira. 
Já deitei fora a caixa de recordações, a aliança, já apaguei todas as fotos, mensagens e já ajustei as definições do Facebook, não quero mais ver, não quero mais lembrar, posso ter sido humilhada e enganada mas a única coisa da qual me quero recordar é que, eu sou superior, um dia ao invés de raiva, vou ter pena do quão mesquinha, ignóbil e oca esta pessoa era. Só nós próprios temos o poder de controlar aquilo que nos afeta ou não e isso serve para qualquer relação que tenhamos, não vale a pena ficarmos a olhar para trás tentando remoer e entender cada passo que levou às coisas chegarem aonde chegaram. Ignorem, fechem os olhos ou olhem para o outro lado, a vida é curta e devemos aproveitá-la da melhor maneira possível, vamos afastar de nós tudo o que não nos faz bem, não vale a pena sabotarmos a nossa própria felicidade.

E porque hoje é sexta-feira e segunda volto logo às aulas:

12 Comments

  1. January 3, 2014 / 1:54 pm

    Força minha linda!
    Eu estou a passar pelo mesmo e sei o quanto custa…

    Mas não te esqueças: nós somos infinitamente mais fabulosas que qualquer outra!

    • January 6, 2014 / 7:38 pm

      É difícil mas tem de ser. Obrigada e força para ti também.

      Beijinho

  2. January 3, 2014 / 2:48 pm

    ah meu, quero pizzzzaaaaaaa! xD

    ok, eu nem sei o que reter disto… facebook e relações são coisas que não tenho, por isso pouco posso dizer…mas fazes bem em tomar uma atitude, és tu que importas!

    xoxo

    • January 6, 2014 / 7:48 pm

      obrigada pelo apoio querida!

      Beijinho

  3. January 3, 2014 / 3:38 pm

    Depois do último gif vou fazer um quote à Elsa (que infelizmente não ficou com o mesmo sentido na versão pt.)
    "Yes I am alone, but I am alone and Free" (poderia continuar com a frase seguinte, mas teria se calhar outro contexto)
    Acho que és uma grande Senhora. O que não falta por este mundo são pessoas que acham que precisam de A ou B ao seu lado para as definir ou mantém "laços" mesmo que as destrua por dentro. Em parte já fui assim, mantinha pessoas no meu facebook para depois no final do dia matutar sobre aquilo que não devia. A melhor coisa que fiz foi começar a eliminar umas e a tirar outras do meu feed. Uma verdadeira beleza.

    Como alguém dizia, só faz falta quem cá está. O resto?É pasto.
    Por isso muita força. Beijinho enorme*

    • January 6, 2014 / 7:51 pm

      hahaha adorei a parte do pasto, obrigada.

      Beijinho

  4. January 3, 2014 / 4:03 pm

    Eu tenho a mania de ir sempre controlar tudo e mais alguma coisa e depois vejo o que não quero. Frases tipo "eu sabia que ele estava com ela" é o que mais digo depois de uma boa cuscada no facebook de um cara de cu que não teve coragem de explicar porque me estava a deixar.
    Enfim, temos de nos deixar dessas parvoíces. Eles que façam lá a vidinha miserável deles que nós havemos de ser felizes com alguém que nos mereça.

    • January 6, 2014 / 7:56 pm

      Como eu te compreendo, eu não digo que se seja fácil ou que esteja a lidar muito bem com a situação, é a primeira vez que passo por isso e estou mesmo a tentar seguir em frente 🙂

      Força para ti também!

      Beijinho

  5. January 3, 2014 / 4:56 pm

    Espero que consigas superar tudo isso, bem sei o que passei na minha relação anterior! :/
    beijinho

    • January 6, 2014 / 8:02 pm

      Hei de conseguir 🙂
      ~
      Beijinho

  6. January 3, 2014 / 11:51 pm

    Lamento mto que tenhas tido que passar por isso… 🙁 Que valente filho da p#$%!! 🙁 Passei por algo semelhante mas na altura era mais nova que tu e a coisa durou bem menos que 6 anos, só que sofri como o caraças… por isso acredito que tenhas passado mesmo por um golpe horrível. 🙁 Mas eu tenho a certeza q ficarás bem com o tempo e sim, minha querida, retira boas lições do que passaste e depois… bola para a frente!

    O meu blog: http://pprettyplease.blogspot.pt
    Facebook do blog: https://www.facebook.com/pprettyplease
    A minha loja de bijuteria online: http://www.2bpretty.pt

    • January 6, 2014 / 8:09 pm

      Custa agora mas vai passar 🙂

      Obrigada e Beijinho

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *